As cesarianas

Colocado em

Olá,

Quero falar-te hoje de como as coisas muitas vezes não correm como esperávamos e de como isso faz parte da vida e não tem de ser destruidor nem motivo de desilusão. Acontece.
Desde sempre que quando me imaginava a ter filhos, imaginava algo parecido aquilo que via nos filmes e nas séries : O meu namorado a agarrar-me a mão, eu com a cara inchada de tanto suar e um parto que corria com sofrimento e beleza e que iria marcar o início de tudo. Isto era o que eu imaginava na minha cabeça, mas não foi assim. Porque como te disse : acontece.

Desde cedo que percebi que ia ter um filho grande, fiz uma barriga enorme e embora isso muitas vezes não queira dizer nada, a ecografia final só veio confirmar as nossas suspeitas : o meu filho pesava cerca de 4 quilos às 37 semanas. O tempo foi passando e quando chegou a altura dele nascer a minha médica percebeu que a minha bacia não era suficientemente grande para o tamanho do Santiago e que eu iria ter um parto muito complicado. Atenção, antes que comecem a chover críticas : a minha médica não é apologista das cesarianas para ganhar dinheiro. Fez o parto de muitas amigas minhas e correu tudo na normalidade, tudo maravilhoso. Só que o meu caso estava a ser um bocadinho mais complicado.
Vim para casa completamente desgostosa a dizer vezes sem conta “Não era para ser assim, não era para ser assim” porque não era assim que tinha imaginado e estava-me a custar abrir mão dessa visão das coisas que eu tinha desenhado ao longo de tantos anos e com a qual tinha sonhado tantas vezes.

Depois de ter sabido que ia fazer uma cesariana comecei a ouvir pessoas com este género de discurso “Vais fazer cesariana? Que horror! Mas porquê? Sabes que isso é anti-natura?! Sabes que os bebés que nascem de cesariana ficam doentes muito mais vezes? Já me disseram que o laço entre a mãe e o bebé é muito mais forte quando é parto natural! E a recuperação? Prepara-te! Doi horrores! Uma amiga minha ficou um mês a andar curvada! Uma prima minha apanhou uma infeção” Tudo isto é pouco perto das coisas HORRIVEIS que eu ouvi. Se há coisa que eu já aprendi é que existem pessoas cujo objectivo é aterrorizarem as outras, juro! São aquelas pessoas que sempre que tu falas de alguma coisa têm um exemplo horrível para contar! “O quê? Vais ter um cão? uma amiga minha teve e destruiu-lhe a casa!” Ou “Vais comprar esse carro? O meu primo comprou um igual e no dia seguir o carro pegou fogo!” São pessoas tóxicas que não têm a mínima noção do efeito desestabilizador que têm na vida das pessoas. Eu fiquei em pânico total.

Atenção mais uma vez: eu não estou aqui a dizer “Viva as cesarianas que são a melhor coisa do mundo!” Nem de perto nem de longe, estou só a tentar mostrar às pessoas que têm de as fazer por razões clinicas, que NÃO é o fim do mundo.
A minha cesariana correu muito bem. Não vou dizer que não tive dores nenhumas na recuperação mas posso-vos garantir que em NADA se assemelhou ao cenário Dantesco que me tentaram pintar. Nada mesmo.

Tive durante 5 dias a andar mais curvada (mais por uma questão de impressão que de dor) mas a partir daí consegui fazer tudo normalmente. Evitei carregar pesos e fazer esforços obviamente mas fiz tudo com tranquilidade.

Cada caso é um caso e todas as pessoas podem ter complicações. Aquilo que quero dizer com este post é que não vale a pena sofrer por antecipação nem entrar em pânico. Ás vezes as coisas correm bem e passámos por uma crise de nervos e ansiedade brutais por causa dos outros.

Vivam a vossa gravidez com a maxima tranquilidade possível mesmo quando as coisas não correm como imaginámos. A vida é uma sequência inesperada de imprevistos.

Carolina

 

50Comentários

  1. Patrícia says:

    Sem dúvida que, cada opinião pertence à pessoa que a dá…
    Nada é como pensamos ou como realizamos. O que interessa é que no fim, haja saúde e amor. E isso, não há-de falta de certeza. Tudo de bom.

  2. Andreia Pereira says:

    Olá Carolina! Eu também fiz uma cesariana. A minha placenta descolou por completo, já estava eu na urgência e tiveram de retirar a minha filha rapidamente. Por isso a cesariana. A minha filha nasceu de 30 semanas e eu tive pre-eclampsia, eclampsia e inícios de sindrome de help. Tivemos as duas noos cuidados intensivos. Só a conheci no quinto dia de vida. Tive um mes e meio sem ela enquanto esteve internada até poder vir para casa…. Nada disto me faz mais ou menos mãe. Nada disto nos torna mais ditantes, muito pelo contrário. Ela é obsecada por mim e eu por ela. Cesariana é pormenor!
    Beijinho grande! Gosto muito de te seguir. ❤

  3. Carmen Revez says:

    Concordo plenamente Carolina eu também tive que fazer sesariana e ao início fiquei assustada mas passou e e preferível nos fazemos a cesariana e os nossos filhos não sofrerem ,porque cada caso e um caso beijinho grande desejo te tudo de bom 😘

  4. Inês Alves says:

    Olá carolina
    Eu fiz uma cesariana pelos mesmos motivos que tu.
    Também ouvi muita coisa de pessoas que só pensam em aterrorizar as outros ou por diversão ou por gosto sinceramente não sei.
    Quero só dizer que o meu laço com o meu filho é a coisa mais forte que existe e que se fui 2 vezes ao hospital com ele foi muito.
    Em relação a recuperação tive 2 dias apenas no hospital não tive dores praticamente nenhumas e não não andei curvada coisa nenhuma.
    Hoje tenho um orgulho enorme ver-me em frente ao espelho com aquela pequena marca no meu corpo.
    É daquela marca que o meu mundo se tornou gigante e com muito mais amor.
    Desejo-te as maiores felicidades.

  5. Celia says:

    Concordo plenamente com a tuas palavras!
    Eu há 3 meses atras tive um parto induzido e quando falava que iria induzir o parto todas as pessoas opinavam… olha que vais acabar em cesariana pois as médicas querem e ganhar €.. olha que nada é tão bom como o natural… esperar que o bebe queria nascer… enfim ouvi milhões de opiniões em forma de críticas, até de outros profissionais de saúde… pois pelo facto de eu querer parto induzido (pois queria muito ter a minha filha com minha obstetra) fazia confusão a toda a gente, e a forma que encontravam de me dizer que não concordavam era contar-‘e histórias que me davam medo. Pois tenho a dizer que tive parto induzido e adorei o meu parto. Foi parto normal com 9h de trabalho parto. (Induzido as 10:00 e minha bebe nasceu as 19:00) não sofri nada e correu tudo lindamente na ordem da Lapa no porto. Desejo-te tudo de bom e continua com essa boa energia e com a capacidade de desvalorizar essas opiniões tóxicas que não interessam Mesmo.
    Bjinhos

  6. Ana Ramos says:

    Eu fiz duas cesarianas todas elas necessárias e dando a minha opinião não é assim nada do outro mundo temos sim dores após mas dores suportáveis…concordo em todas as tuas palavras há sim muitas opiniões que servem para preocupar e não para ajudar 😊

  7. Selma says:

    Como te entendo 😂😂😂 também ouvi tantas coisas negativas, na minha primeira gravidez que foi em Lisboa, ( por falta de conhecimento) decide percorrer a indução do parto, já n segunda tive o parto na Inglaterra e em casa, ouvi tantos horrores ui, mais temos que fazer aquilo que sentimos bem! Tás grávida outra vez? És louca? Como vás cuidar das duaa ( kkkkk só quem é mãe entende essas palavras) hoje uma tem 3 e a outra 1 ano e tal estou sim exausta mais meu coração está muito feliz!

    Bjo te de bom

  8. Milene says:

    Vivi uma situação um pouco semelhante à tua embora um pouco mais complicada.. No meu caso posso dizer VIVA A CESARIANA, pois graças a ela tenho o meu filho do meu lado.. A cesariana salvou a vida do meu filho! Mas mesmo assim o tempo que estive no hospital e ainda hoje ouço comentários desnecessários de gente que acha que cesariana é facilitismo!!
    As pessoas adoram falar sobre o que não conhecem!!
    Grande beijinho Carolina! És uma mulher coragem!!

  9. Diana says:

    Carolina,
    Tenho um bébê de 4 meses, também ele nasceu de cesariana e às 37 semanas. Eu não queria que assim fosse mas ele nunca deu a volta e teve sempre sentado, era óbvio que não seria um parto normal. Foi às 37 semanas porque tinha o líquido abaixo do normal e seria melhor para o bem estar do bébé. A intervenção correu tranquilamente, os dias seguintes com algumas dores mas a medicação ajudou muito e a recuperação foi fantástica tendo em conta tudo o que ouvi ( também ouvi devaneios inoportunos). Hoje, contra a ideia estapafúrdia de que a ligação do bébé e da mãe não é a mesma, o meu Santiago, é apaixonado por mim e eu por ele. A nossa ligação é perfeita, tal como a tua com o teu Santiago. E, sabes?! Nada mais importa. :))
    Que o teu segundo parto seja maravilhoso seja de que forma for é que sejas incrivelmente feliz com os 2 pequeninos. <3

  10. Eliana Guimaro says:

    Olá, tenho um menino de 4 anos, que tive com 18 anos, o Valentim, que às 38 semanas teve de ser provocado para nascer por já ter 4,055kg e eu já não aguentar de dores e o médico optou pela melhor opção, pois era muito nova, mas estive 22horas em trabalho de parto sem nunca prever uma cesariana, mas no fim dessas horas todas o Valentim entrou em sofrimento, eu já não tinha mais forças, então teve de ser uma cesariana, que por muito medo que eu tenha naquele momento só queria ver o meu bebé nos meus braços, correu lindamente rapidamente e recuperação espectacular, a nível de peso, cicatriz tudo 5*, hoje tenho 22 anos estou grávida de 23semanas de um benjamim(juro que não copiei o nome) e espero ser parto normal, gostava de saber como é.
    Mas acima de tudo primeiro está a nossa saúde e do bebé.beijinhos a todas

  11. Catarina says:

    Do meu primeiro filho também imaginava tê-lo em parto normal, mas com a mesma situação que a Carolina o meu filho estava com mais de 4kg e fizeram-me à última hora cesariana e adorei , neste momento estou grávida e quero ter cesariana não passei nada demais do que dizem a mim também me assustaram mas foi um parto maravilhoso … Do meu próximo filho também quero cesariana e pelo que sei vai ser porque com 5 meses ele já está gordinho 🙂 … Bom Parto Carolina 🙂 beijinhos

  12. Joana Pereira says:

    No meu caso, as dores da cesariana comparada com a dor que senti por saber que o meu filho estava em sofrimento enquanto tentavam o parto normal, não foram nada! Como disseste e muito bem: acontece! E após 8 meses Ainda estou na fase de aceitar que não podemos controlar nada!
    Um beijinho enorme, Carolina! Outro para o Santi e para o Benji! 😘😘
    Ps.: por aqui, o Francisco é teu fã! Adora a tua voz 😍

  13. Ana Baptista says:

    Sou mae de 3 lindos meninos e todos partos diferentes . 1° parto normal , 2° parto induzido (nunca pensei que as dores fossem tao monstruosas) e o 3° parto 17 meses depois do segundo cesariana de emergência , pois o piolhito estava de pés . Não queria nada mesmo cesariana , não por ser “anti-natura” mas por não ser tao rápida a recuperação. Em termos de dores fez parecer o segundo parto uma maravilha. Tive imensas dores os primeiros 15 dias e com dor ciática á mistura não foi fácil , mas também penso que foi devido a não descansar como devia. Hoje já passou 1 mês e 9 dias , dores só se tocar na cicatriz . No final , tudo compensa quando os temos nos braços.

  14. Raquel Silva says:

    Ola carolina.
    Adoro os teus textos. Podes dizer qual é a medica que te acompanhou/acompanha durante a tua gravidez?
    Beijinhos

  15. Marta Rodrigues says:

    Olá!
    Fiz cesariana á quase 7 meses…porque o cordão umbilical era muito curto…não deixando a bebé descer…!
    Se tinha essa ideia? Não..nunca pensei em fazê-lo…imaginava tal e qual como tu!
    A recuperação foi fantástica…não tive dores…só mesmo impressão na zona da cicatriz!
    Se sou menos mãe por isso? Nunca na vida…e jamais aceito que me digam-no contrário!😊
    Beijinhos 😘

  16. Patricia says:

    Carolina tens toda a razao. Tenho um menino de 4 anos e nao altura foi cesariana porque ele nunca deu a volta. Toda a gente pintava um cenario horrivel e so contavam as histórias e experiências más. Mas e verdade que custa um pouco mas nada que nao se aguente e nao passe 🙂 eu ao fim de uns dias ja andava a fazer tudo em casa. Agora tive uma menina e foi parto normal e tambem correu tudo bem 🙂 ambos nasceram com perto de 4kg. É como dizes o que tiver que ser será 🙂

  17. Mafalda says:

    Eu sempre idealizei o mesmo quando pensava em ter filhos, e mesmo quando soube que eram gémeas fui até ao fim a dizer que queria parto normal ! Até que… na hora do parto, uma delas se deslocou do canal e estavam em risco e deram-me a escolher entre a cesariana ou ser “puxada a ferros”, e naquele momento, com tantas dores eu só queria que aquilo acabasse e que me levassem para o bloco e assim foi… tive 18horas em trabalho de parto para acabar por ter cesariana, e se agora tivesse outro filho, tomava a decisão de o ter por cesariana na mesma . Tive dores sim, mas nada de mais… e tenho duas filhas com um ano e tirando 1 ou 2 constipações nunca tiveram mais nada. São super saudáveis e a ligação que teem com a mãe, não poderia pedir melhor! E ainda; nao consegui dar peito e nem isso deixaram de criar o vinculo comigo, a ligação de mãe com o filho somos nós que a criamos todos os dias com o amor que lhes é dado. E por favor acabem com essas barbaridades e deixem as grávidas viver o momento mais bonito das nossas vidas ♡ adoro ler os teus posts Carol, adoro !!! Revejo tanto esse amor e o teu dia a dia comigo… continua !

  18. Débora Santos says:

    Há mulheres que com parto natural levam mais pontos que numa cesariana! É o que tiver que ser! Tive dois partos naturais mas até à última era para ser cesariana por ainda não terem dado a volta. Senti a mesma desilusão que descreves quando me deram um prazo para darem a volta. Depois teve que ser provocado e tinha também pessoas a melgarem por causa disso. E eu própria queria que fosse tudo natural, que começasse com as contrações espontaneamente, andei a fazer de tudo para que acontecesse mas não aconteceu. Mas tenho uns filhos lindos que amo mais que tudo!!!

  19. Adriana says:

    Fiz também cesariana a 2 meses por razões clinicas tambem… No inicio fiquei apreensiva por ansiar ter parto normal, mas no fundo apenas contava a saúde da minha filha, isso sim era o mais importante.
    Ouvi também falar da recuperação e não achei que fosse como dizem. Custa mas pelos nossos bebes fazemos tudo e só isso já ajuda a recuperar… As vezes as “boas” intenções das pessoas são apenas fortes maneiras de testar a nossa capacidade de reação às coisas e não é por ter sido de cesariana, que o laço que existe entre nós e os nossos filhos é menor . Amor incondicional 😍😍

  20. Claudia De Oliveira santos says:

    Parabéns Carolina, adorei o texto 👏🏻.
    Tambem fiz cesariana por necessidade e tinha um sonho de ter um parto o mais natural possível e na altura fiquei desiludida por sentir que tinha falhado, mas eu e o meu Santiago (2 anos e 5 meses)estamos bem e temos um cumplicidade desmedida! Não achei a recuperação da cesariana nada do que me tinham falado, não é o bicho de sete cabeças que diziam, pelo menos para mim… Dentro de 2 meses nasce o meu Tomás que em princípio será cesariana devido ao meu historial e aguardo tranquila. Beijinhos e tudo de bom para os teus bébés.

  21. Cláudia Batista says:

    Olá Carolina
    Eu tenho dois filhos a Catarina a mais velha nasceu tinha eu 18 anos de cesariana e tenho o João que nasceu de parto normal aos meus 25 anos.
    Da Catarina estive umas 16 no bloco a espera de fazer a dilatação, como era muito nova não queriam que ficasse com uma cicatriz, embora ela seja super discreta, como tal não aconteceu tiveram mesmo que a fazer, e no dia 12 de maio às 23 e 48 minutos nasceu a minha Catarina toda linda, pena que só a vi passar pois apaguei logo a seguir ao nascimento, estavam tão nervosa que levei anestesia. A recuperação foi maravilhosa andei também uns tantos dias como tu assim curvada mas não muito. E ela tem sido super saudável, consigo contar pelos dedos de uma mão as vezes que me deu más noites e maus dias por estar doente.
    Já o meu João foi uma gravidez que descobri aos 5 meses, graças a deus estava tudo ótimo com ele. Comecei com contrações às 23:30 da noite do dia 8 já certinhas para ele nascer e as 07:12 da manhã do dia 9 de abril nasce o João, também muito lindo e maravilhoso e veio direitinho para o meu colinho a fazer xixi, sim o João nasceu a fazer xixi. Esta recuperação sim foi um pouco pior, levei muitos pontos não conseguia estar bem de maneira nenhuma. E ao contrário da irmã ele tem me ralado mais neste primeiro ano do que a mana em oito.

    Com isto tudo quero dizer que cada caso é um caso e não existem duas pessoas iguais nem o filhos quanto mais primas, tias ou amigas. 😊
    Quero te dizer também que tens um filho lindão e outro igualmente lindo a caminho adoro as fotos deles, sim porque as do Benjamin no casulo também contam.
    Toda a sorte do mundo para ti e para a tua família linda.
    Beijinhos grandes

  22. Ana Sá says:

    É muito comum apontarem o dedo às cesarianas como sendo algo a evitar para o nascimento dos nossos filhos, mas atenção que o parto dito “normal” nem sempre é tão belo como pintam. As dores persistem para além dos “5 dias pós parto”, já para não falar nas alterações anatómicas e de sensibilidade que são irreversíveis. Não querendo ser mais uma pessoa “tóxica” que vê o mal em tudo, este é a minha mais sincera opinião! Seja qual for a via do parto importa que corra bem e que deixe cicatrizes indolores!

  23. Rita says:

    Carolina, adorei ouvir a tua experiência. Eu fiz uma cesariana de urgência, apesar de já se suspeitar que podia acontecer, já que a minha bebe tinha o cordão enrolado (não no pescoço mas num pé), por isso o trabalho de parto foi feito no hospital e já com 5 dedos ela tem uma paragem respiratória e lá vamos a correr para uma sala fazer uma cesariana de urgência. Ainda sabendo que havia estar probabilidade tremia que nem varas verdes. Ainda não tinha nascido e já me tinha pregado um susto de morte. Fui uma raridade no que toca à recuperação. Nem o médico quis acreditar. Só me doíam os ombros devido à tensão nervosa e, segundo o meu médico e as enfermeiras, é também devido ao ar que entrar na “operação”. Não tive dores. Juro! Não me curvei e só mais tarde quando os músculos começaram a ir ao sítio é que sentia uma dormência que rapidamente passou. Eu sim, posso dizer que não passei pelo filme das minhas amigas que foram cozidas até sei lá onde, que não se sentam e demoram eternidades para voltar à vida de casal! Viva aos médicos que metem os nossos filhos no mundo de forma mais calma e tranquila tal como os bebes decidem. Não vejo necessidade de mãe e bebe passarem pelo inferno de Dante para nascer/dar à luz.

  24. Maria de Jesus Nunes says:

    Eu fiz três cesarianas e todas elas diferentes mas maravilhosas só pelo facto de ver três lindos rostos depois. Não é nenhum bicho de sete cabeças. Das três recuperei muito bem . Boa sorte Carolina, vai correr tudo bem…. beijinhos

  25. Tania Favinha says:

    Olá Carolina, tb fiz uma cesariana há dois meses porque a minha filhota estava sentada … e tb ouvi tds esses comentários e mais alguns
    😐. fiz uma recuperação fantástica e sempre tratei da minha filha … com alguns cuidados claro …. por isso varia de mulher para mulher … o mais importante é que corra td bem o parto. .. natural ou cesariana. Um beijinho grd e tudo a correr pelo melhor.

  26. Isabel Mendes Castro says:

    Olá Carolina, fui mãe à 7 meses e fiz cesariana por opção pois sempre tive mede de um parto natural. Não me arrependi nada, a cesariana correu muito bem e a recuperação fantástica. Não andei curvada, subi escadas logo no dia a seguir como se nada fosse. Toda a gente me dizia o mesmo, que não tinha lógica fazer uma cesariana por opção, que a recuperação era terrível. Mas não podemos ouvir nada disso.. cada caso é um caso. Todas nós, mulheres, somos diferentes e o nosso corpo reage de forma diferente. Espero que corra tudo bem 😀😀 beijinho e felicidades 😙😙

  27. Sara Costa says:

    Oi Carolina!!
    A minha filha nasceu pouco tempo depois do teu Santiago e fiz cesariana e correu super bem e o que dizem das dores n e assim tão horrível quanto pensam e concordo com as tuas palavras somos mães como todas as outras e os nossos filhos sabem a ligação que tem para conosco!!
    Acho que ainda existe muito preconceito em relação a cesariana…
    Beijinhos e felicidades

  28. Carla says:

    Também fiz uma cesariana pelo mesmo motivo. A minha bacia era muito pequena para o meu filhote.
    Infelizmente só soubemos na hora. Nem tive tempo para me mentalizar. Chorei pois queria muito o pai ao meu lado naquele momento.
    Mas foi pelo melhor e sim a recuperação não é facil. Mas cada minuto vale a pena

  29. Cristiana says:

    Olá Carolina, estou muito feliz por este novo projeto..Gosto muito de ti minha querida, que a vida te brinde com tudo de mais maravilhoso…
    Eu também tenho 3 amores para “A VIDA TODA”.
    Obrigada pelo que escreves no blog.
    Obrigada por cantares também, o que escreves..
    Beijinho no teu coração..😘😘

  30. Soraia silva says:

    A história que descreves-te parecia exatamente a minha… tb desde cedo sabia que ia ter um bebe grande até ao fim se confirmar que era mesmo grande e a minha bacia não ter cedido o suficiente e tive mesmo que acabar em cesariana. E não acho que a ligação mãe e filha seja menor nem nada dessas teorias sem lógica nenhuma… ninguém é menos que ninguém por fazer cesariana ou o que quer que seja 😉😉😉😉

  31. Nadine Monteiro says:

    Eu passei praticamente pelo mesmo por isso sei como te sentiste. Sempre idealizei um parto normal mas enquanto grávida estava até a ponderar um parto natural na água (sem qualquer ajuda ou anestesia mas no hospital -muito comum aqui no UK). Estava tudo planeado e a ir muito bem até que na consulta das 38 semanas a parteira ficou na dúvida da posição do bebé e mandou-me para uma eco que confirmou as nossas dúvidas. O pequeno tinha voltado a virar e encaixou de pés. Tentamos virá-lo manualmente mas só me causou mais dor e desconforto para passado uma semana ter a dita cuja. Apesar de todos os comentários horrendos de meter mais medo que um filme de terror na sessão da 00:00, digo que não tive problema nenhum. Ao fim de 1 semana fazia tudo normal e mesmo durante esse tempo tratei do meu filho a 100% ao contrário do que diziam.. claro que foi fundamental todo o apoio do meu marido (até porque não tínhamos mais ninguém por perto uma vez que vivemos noutro país. )
    Por isso mesmo não sendo ideal não quer dizer que seja “aí que horror.vais morrer , vais ver”
    E o que constrói laços entre mãe e filho é a atitude que temos com eles quando tratamos deles, não a maneira como damos à luz.

  32. Ana rita says:

    O importante aqui é que o bebe esta bem assim como a mae. Se nao fossem as cesarianas a existirem,muitos bebes morriam e as maes possibelmente tambem. O vinculo entre mae e filhos independentemente de ser parto normal.ou nao é exatamente o mesmo, nao se.deixa de ter menos amor por isto ou por aquilo. É amor que nasce antes de nascer e é exatamente o mesmo. Beijinhos e parabens

  33. Sofia Marques says:

    Também fiz cesariana, o meu texuguinho estava sentado. Realmente a primeira semana custou muito mas depois com calma tudo começou a correr lindamente. Calma e moderação são as palavras de ordem para uma boa recuperação e bem, não ligar a opiniões alheias também Lol

  34. Sónia Rocha says:

    Olá Carolina.
    O meu filho ( 2anos) também nasceu de cesariana (mas já estava há muito acontar com isso… pois esteve sempre sentado), e quando comentava que teria de ser cesariana, só diziam horrores, muitas barbaridades. O meu grande problema foi ter que levar anestesia geral, pois a epidural não foi suficiente, e assim só conheci o meu filho passado 28h depois de nascer, pois ele teve de ir logo para o bloco operatório.
    Estive apenas 3dias mais debilitada, mas depois eram algumas dores “normais” de qualquer parto.
    Obrigado por partilhares as tuas experiencias.
    Beijinhos

  35. Andreia Félix says:

    É verdade, nem tudo que idealizamos é o que nos espera!
    Também passei pelo mesmo!!! A minha Maria Clara tinha 4,100kg e ja com 42 semanas nao havia dores, nem dilatação…por isso tivemos que recorrer à cesariana.
    Realmente nao somos todos iguais…a minha tambem correu super bem e a recuperação Igualmente.
    Um beijinho grande e uma hora pequenina no nascimento do teu riquinho.😘😘😘

  36. isabel barbosa says:

    E quanto pesou o seu bebe à nascença? sempre se confirmou que era muito grande?

  37. Sandra says:

    Eu tive a minha bebé de parto normal e também tive dores pós parto. O importante é que nasçam bem e com saúde o resto não interessa 🙂

  38. Ana says:

    Olá Carolina! Excelente a sua opinião acerca da cesariana. A minha filha – que já tem quase 16 anos – nasceu de cesariana com epidural por minha própria opção. Fui eu que assim o quis. Nunca quis achei que se é menos mãe por não querer estar “de perna aberta” para todos, à espera dos “X dedos de dilatação”… estar sobretudo em sofrimento. Na minha primeira consulta com a minha ginecologista – obstetra fui logo directa ao assunto: não queria um parto natural mas antes uma cesariana mas que me permitisse “ver” a minha filha nascer e ir direitinha para os meus braços. Como boa profissional fez-me ver os Prós e Contras mas decidimos que optaria pela cesariana. Ainda bem que o fiz. Correu tudo muitíssimo bem. A minha filha “saiu” da minha barriga directamente para os meus braços e fui a primeira a dar-lhe um beijinho. Recuperei muito bem e rápido da cesariana com epidural. Não tive dores. E sim, faria outra cesariana. Porque a mulher também direito a escolher o seu parto. A minha filha é saudável e linda. Aliás, uma adolescente lindona! Um grande beijinho para si Carolina <3

  39. Sandra Maria Antunes says:

    O meu primeiro parto foi cesariana, tudo indicava que iria ser normal a entrada da maternidade, foi feito o toque e sentiram a cabeça da minha filha, 8h depois senti uma dor enorme como nunca sentira antes chamei a enfermeira que fez novo toque e saiu porta fora a correr e chamar por todas as medicas, a minha filha desencaixou-se deu a volta e estava de pé e em sofrimento fui levada para a sala de operações a correr axo que a minha maca bateu em todas as esquinas do recem inaugurado Garcia de Orta, tive uma paragem cardieca e outros pequenos problemas durante o parto, se hoje sou mãe orgulhosa de uma mulher de 25 anos foi graças a uma cesariana de urgência que permitiu que a minha filha nasce-se (tinha 4kilos e 52cm) nada o fazia rever na ultima eco era um bebe normal, por isso em caso de necessidade e claro que se deve fazer a cesariana, até porque comparando com um parto normal não e tão bonito e sofremos muito mais sou mãe de 5 filhos (1 cesariana, 1 parto com epidural e 3 naturalíssimos que foram muito especiais todos doeram todos custaram até ao momento de ter os meus bebes nos braços)

  40. Aida says:

    Olá Caralina
    eu fiz um parto natural sem epidural. Eu sei que isto impressiona muita gente, inclusivé que é primitivo. Será? Eu tenho uma boa tolerância à dor e a minha postura foi “I take as I go”, portanto não foi necessário. Não temos que provar nada a ninguém, e cada caso é um caso. Mas a verdade é que me rodiei de pessoas positivas, li bastante e falei muito com a minha parteira, visitei o hospital (tive o meu filho na Dinamarca, o que acresce às insegurancas proprias da experiencia). Preparei-me fisica e psicologicamente para o parto e adorei a experiência. Houve a possibilidade de fazer cesariana pois o meu filho, Dinis, podia estar a entrar em sofrimento mas não foi necessário. Fico feliz pelos avancos da medicina e por ela dar a possibilidade às mães e aos bebés de sobrevivência pois nunca se sabe o que pode acontecer. Obrigada pelas tuas palavras e espero que este espaco possa ser um espaco onde mães partilhem as suas experiências e aprendam umas com as outras porque tal como nossos filhos crescem e aprendem, também nós o fazemos com eles enquanto mães.

  41. SÂO says:

    Ola Carolina eu tambem fiz 3 cesarianas, tambem houvi vários comentários mas tudo correu b.
    Bjs Felicidades para a tua Linda Familia .

  42. BE says:

    Cada caso é um caso, sem dúvida. Não fiz uma barriga gigante, mas também se adivinhava que ia ter uma bebé grande, e tive. 4.190kg de ser humano a sair de mim. Não sou apologista das cesarianas, a não ser em situações que de facto seja a opção mais segura, o parto da minha filha na fase final complicou um pouco, mas tive uma equipa de médicos fabulosa que fez o seu melhor.
    Foi parto normal, mas poderia de facto não ter sido, e o que interessa é que corra sempre tudo pelo melhor.

  43. Joana says:

    Também passei por uma cesariana. Não por escolha, porque tal como tu, sempre imaginei uma cena de filme. Não tive escolha. Após 19h em trabalho de parto lá teve que ser. Não tinha dilatação. E custou-me. Custou-me assinar a autorização e, custou-me mais ainda não autorizarem o pai a estar connosco. Mas passou! 20 minutos depois tinha a minha princesa nos braços e o pai ao lado. Quanto à recuperação, tive uma recuperação excelente. Logo no dia a seguir consegui fazer tudo sozinha.
    E o importante nisto tudo? Termos os nossos filhos bem, cheios de saúde… mãe é mãe, independentemente de parto normal ou cesariana.

  44. Rita says:

    A vinculacao a um filho nao se faz por intermedio do parto natural. A vinculacao entre mae e filho consolida-se na ligacao diaria que se cria com ele, na entrega, na abnegacao. Falo por mim e sei do que falo.

  45. Gisela luz says:

    Ola carolina… que texto bom pah
    Eu tive 3 cesarianas e porque quis…sim porque quis, nunca me vi a ter parto normal e felizmente vivo num país que permite á mulher escolher como quer ter o seu filho. Sou a favor das cesarianas sim, porque a mulber tem o mesmo direito de escoljer como quer ter os seus filhos, assim como tem o direiti de não querer ter filhos. A minha primeira cesariana há quase 8anos foi uma recuoeraçao terrivel (mais por eu ser uma mariquinhas 😂). A segunda e a terceira foram espectaculares e nem 24h depois andava fresca e fofa a cuidar dos bebes. E as 2 últimas foram com 11meses e 15dias de diferença. A última foi uma gravidez inesperada e aflitiva, o medo da cicatriz romper eram muitos, tanto por mim como pelos obstetras que me acompanham mas cá está o Xavier com quase 6meses e super bem a fazer companhia ao mano Gustavo e ao mano Vicente.
    Nunca deixes as pessoas te dizerem o que não queres ouvir. Aprendi isso quando a mãe de uma amiga me foi ver ao hospital quamdo nasceu o meu 1filho e me disse “mas tu ao sabes o que é ser mãe”… prometi a mim mesma que aquela seria a unica vez que fiquei calada. Depois desse dia nunca mais me calei e não tenhi problema nenhum em dizer que os meus filhos dormem na minha cama sempre que precisarem ou que odeio e acho nojento amamentar.
    Um beijinho e uma boa cesariana e otima recuperação. Gi

  46. Mara Barros says:

    Olá Carolina,

    Também fiz cesariana, praticamente na mesma altura do nascimento do teu Santiago, chegou a minha Carolina <3 Tb sempre pensei na parto normal com o marido ali ao lado de mão dada e quando soube que teria de ser cesariana, fiquei tristinha, mas acabei por aceitar bem. Nasceu às 40 semanas de cesariana por estar pélvica e tudo correu bem também, 2/3 dias com mais dores e depois essa tal impressão que referes que é perfeitamente normal. Admiro-te desde a tua participação nos Idolos e quanto mais vou lendo sobre ti mais gosto da pessoa que és… Pura e verdadeira, uma pessoa de sentimentos e que não se preocupa em partilhar conhecimento com os demais.
    És grande Carolina, muito sucesso profissional e pessoal, são os meus votos

  47. Melissa says:

    E então afinal, quanto pesava a cria? A médica acertou? 🙂

  48. Sara Duarte says:

    Ao contrário do que muitos pensam, a minha opinião é a de que não basta o bebé e a mãe estarem bem de saúde, não basta ter sido um parto normal sem qualquer tipo de intervenção ou um cesariana de urgência. No meio de tudo isto é preciso a mulher sentir-se bem, realizada com o seu parto. É importante não levar “macaquinhos” na cabeça para os dias do pós-parto e é importante resolver o que houver para resolver relativamente ao parto. Eu só descansei quando fiz queixa do hospital onde o meu bebé nasceu e fiquei de tal modo que só o consegui fazer uns 3 ou 4 meses depois. Isto para dizer que temos todo o direito de nos resolvermos em relação aos nossos partos e que devemos arrumar as nossas ideias de forma a conseguirmos avançar – sem medo e sem mágoas – e, ao ler este texto, li também uma mulher a arrumar-se – a pôr as suas ideias no (seu) sítio. E é um momento lindo. Obrigada por esta partilha, Carolina.

  49. Cátia Ferreira says:

    Carolina, gosto tanto de “te ler”… também tenho um Santiago, de 14 meses. Também tenho uma casa branca, onde descobri que estava gravida, e onde o Santiago cresce a apronta a cada dia, e nos amamos muito, os três.
    Também eu tive uma cesariana, e ainda bem, pois foi a cesariana que salvou e me deu o Santiago. <3

Deixe um comentário

O endereço de email não será publicado.