O dia em que o mundo parou para ouvir uma canção de amor

Colocado em

Esperámos todos ansiosamente pelos resultados, uns de mãos dadas, outros a fazer figas, a minha sogra de lágrimas nos olhos à espera da primeira vitória Portuguesa depois de tantos anos.  Não tenho memória de ter vivido alguma coisa assim antes, nem com o futebol. Ninguém gritava mas estávamos ofegantes e emocionados de olhos colados à televisão, a sentir  o coração na boca.

Ganhámos. Ganhámos e demoramos alguns segundos a perceber que tínhamos ganho devido a uns cálculos de pontuação exaustivos e confusos que me fizeram pensar em ter explicações de matemática. Saltos, gritos, lágrimas. GANHÁMOS! E logo a seguir fizemos silêncio para ouvir a mais bonita canção de todas pela última vez. O ar pára e o tempo também, é incrível não é? Não se ouve nada, não se mexe um músculo do corpo que não seja o coração. Porra, que bonito. Que quadro tão bonito sobre o amor que é tão grande que vale pelo crente e pelo descrente, que vale pelo que quer ficar e o que já saiu, que vale pelo que luta e o que já desistiu. Todos nós em algum momento já amámos sozinhos ou fizemos amar, todos nós já vivemos aquela canção e enquanto ela dura, todos nós sentimos que ela foi escrita sobre a nossa vida. É isso que faz da canção nossa, é que todos nós já a vivemos mas faltou-nos a Luísa para tão bem a pintar e cantar.

Assim que entram as primeiras notas de corda parece que tudo à volta fica preto e branco, em slowmotion como um filme antigo. De repente há um misto de encanto Walt Disney com um ar de anos 50 que nos lembra os amores antigos e nos faz querer rodar um vestido e usar uma bandolete. Mas não é só a canção… de repente ouve-se uma voz e vê-se um menino. Uma voz que nos vem entregar uma mensagem, uma voz que canta quase sem querer e sem se esforçar, canta como se fosse um acto tão natural como respirar. Como se o seu corpo se esforçasse mais para andar do que para fazer aquilo. E de repente o quadro é dele, e perdemo-nos a observar a forma como as suas mãos se mexem, como os olhos se expressam, como a canção é diferente e melhor a cada vez que ele a canta. Sentimo-nos sortudos por poder ouvir aquilo, sentimos que estamos a assistir a algo único, íntimo e absolutamente singular.

Esta vitória foi de tantas coisas e de tanta gente.

Foi uma vitória de Portugal que já se tinha habituado a pensar na derrota como primeira e unica hipotese,

foi uma vitória da Luisa que compôs uma canção que conseguiu parar o mundo e fazê-lo pensar e sentir,

foi uma vitória do amor, que é a força mais poderosa de todas,

foi uma vitória da diferença, e a prova de que aquilo que é “estranho” e “fora do comum” é de uma autenticidade que deve ser celebrada

e foi uma vitória do Salvador, pelo talento que tem e por ter conseguido sempre manter-se fiel a si e entregar a sua mensagem :

” A música não é fogo de artificio, é sentimento”

Obrigada Luisa, Obrigada Salvador e Obrigada ao meu país que os recebeu e aplaudiu como estrelas que são e que cantou a canção como se de o Hino se tratasse.

 

  • Partilhar

8Comentários

  1. Filipa Almeida says:

    O texto esta muito bonito Parabéns Carolina a canção é linda e o Salvador representou muito bem o nosso pais e intrepetou a musica na perfeição foi um momento lindo e único já mais esquecido para Portugal Parabéns Salvador e Luisa pelo excelente trabalho que fizeram <3 😀 🙂

  2. Susana Morais says:

    Olá Carolina,

    A forma como escreve é quase tão simples e bela quanto a forma de cantar do “nosso” Salvador!

    Cada texto que leio neste seu/nosso blog enche-me a alma, deixa-me comovida e com os olhos cheios de água… Que forma linda de expressar pensamentos, opiniões, sentimentos…

    Adoro ouvi-la cantar, mas as suas palavras (escritas) não ficam nada atrás das cantadas.

    Muitos parabéns e muitas felicidades para os 5
    (o cachorrinho parece um peluche! o Santi parece um boneco! e a sua barriga parece as minhas – que eu fiz quando estive grávida das minha filhas!)

    Susana

  3. Mariana says:

    Lindooooo!!!!!! AMOO! <3

  4. Telma says:

    Maravilhoso!!!! Adorei Carolina.
    Beijinhos.

  5. Angela Pimenta says:

    “Porra, que bonito!”
    Obrigada 💙

  6. Carol says:

    Carolina, saiba que o sentimento do lado de cá foi similar. A música e a interpretação do Salvador foram mágicas e eu diria que essa foi a melhor canção de todos os Eurovisões. Ele reinventou o concurso. 🙂
    Queria também dizer que admiro o seu trabalho, adoro a forma como canta e encanta. Você não fica atrás do Salvador.
    Eu sou bem “chatinha” para música e não gosto de qualquer coisa, nem das músicas comerciais que ouvimos hoje em dia. Gosto de você como cantora e de suas músicas. E isso vindo de mim é um grande elogio, viu!? hahaha
    Desejo muita saúde para você e sua família e olha: Não ficaria nada mal você a interpretar a canção portuguesa do próximo Eurovisão… uma canção linda e em português. Uma vitória consecutiva não cairia mal! 😀
    Abraços!

  7. Vera Lúcia says:

    E assino em baixo!!Parecia uma menina de mãos juntas e apertadas,cm lágrimas nos olhos!!!Amei…completamente deliciada!!!Desde o início q adorei a música e dizia.o a toda a gente q respondiam de volta q eu era doida!Fiquei felicíssima qd o Salvador ganhou…de coração cheio!

  8. Sara Silva says:

    Ainda se torna tudo mais bonito com as tuas palavras :’)

    Beijinho!

Deixe um comentário

O endereço de email não será publicado.